Sobre o que você quer saber?







sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Você sabe o que é Labirintite?

Labirintite é uma desordem causada por algum tipo de processo inflamatório ou infeccioso que afeta os labirintos, pequenos órgãos localizados no ouvido interno, que são responsáveis pelo equilíbrio, postura e orientação do corpo.

Em um primeiro momento, a doença pode passar despercebida, mas trará transtornos ao longo dos anos, causando inclusive problemas de ordem psiquiátrica, como ansiedade e depressão.

De uma forma geral, todas as doenças labirínticas manifestam-se com sintomas de vertigem e/ou tontura. Dependendo de qual é a doença labiríntica envolvida, esses indícios vertiginosos são diferentes, variando o grau de intensidade. Além das vertigens, os pacientes podem ou não apresentar outros sintomas associados, como náuseas, vômitos, sudorese, palidez, taquicardia, aumento da pressão arterial e dores de cabeça.

Tratar os transtornos labirínticos é possível em 100% dos casos. Existem desde manobras realizadas pelo otorrinolaringologista no consultório até procedimentos cirúrgicos complexos, que podem ser usados em casos mais graves.

O tratamento depende do tipo de problema apresentado. O mais importante é assegurar ao paciente que, seja qual for a causa do seu distúrbio, pode ser amenizado.

Lembre-se: em casos de tontura, é necessário procurar atendimento médico imediatamente, de forma que o diagnóstico possa ser realizado o mais rápido possível.

Dr. José Raphael de Castro Júnior


Chefe do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Quinta D’Or

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Cresce o número de cesarianas no Brasil




Pela primeira vez na história o Brasil registrou mais cesarianas do que partos normais, de acordo com levantamento do Ministério da Saúde. O dado se refere ao ano de 2010, quando 52% das mulheres deram a luz por cirurgia, número alarmante, já que a Organização Mundial de Saúde, OMS, recomenda uma taxa de aproximadamente 15%.

No setor privado, a taxa de cesarianas está estabilizada desde 2004 em cerca de 80%.
Já no SUS, o número vem aumentando de 24% para 37% na última década. De acordo com o coordenador da Câmara Técnica de Parto Normal do Conselho Federal de Medicina, José Vinagre, uma cesariana feita indiscriminadamente, pode aumentar os riscos para a mãe e o feto. A cirurgia só é benéfica aos dois quando a situação da mãe exige o procedimento.

Para impedir que o parto cirúrgico ocorra sem necessidade, o ministério orienta médicos e mães a optarem pelo parto normal.
De acordo com especialistas, o excesso de partos cirúrgicos se deve principalmente ao desconhecimento das mulheres em relação aos benéficos do parto normal.
Por isso, nós comparamos as vantagens de desvantagens dos dois procedimentos:

A cesariana:

• Procedimento

O cirurgião faz um corte no abdômen e no útero. A proximidade entre a lâmina, o bebê e a região cortada é um dos principais riscos da cirurgia.
Com as mãos o cirurgião puxa o bebê pela abertura feita.
O cordão umbilical e a placenta são removidos do útero e o corte no abdômen é costurado.
Um curativo é colocado para proteger a região do corte até a cicatrização total.

• Pontos positivos

Maior segurança nos casos em que a gestante ou o feto apresentam algum problema.
Possibilidade de programar a hora e data do procedimento.
É mais rápido do que o parto normal.

• Pontos negativos

Existe o risco de o parto ser feito antes do período necessário para o desenvolvimento do bebê, o que pode provocar problemas respiratórios e a de uma internação na UTI.
A recuperação é mais demorada.

O parto normal

• Pontos positivos

Recuperação rápida. A mãe pode deixar o hospital em até 24 horas.
Como não há cirurgia, o risco de infecção é menor.
Não há dor pós parto.
Não deixa cicatrizes aparente.

• Pontos negativos

O grande vilão do parto normal são as dores durante as contrações. A aplicação da anestesia diminui a sensação de dor em até 70%, mas nem todas as gestantes podem receber o medicamento.
Em casos de partos complicados e de emergência, é preciso fazer o parto fórceps (ou a ferro). Uma espécie de colher metálica que puxa o bebê pelo canal vaginal. Há risco de lesções.

As mamães ainda têm outras opções:

O parto na água que ocorre em banheiras especiais ou improvisadas e é comum na Europa. A água quente ajuda a diminuir a tensão e a dor. No Brasil o procedimento ainda é pouco utilizado.

O parto agachado utiliza a gravidade para facilitar o procedimento. Era usado com grande frequência em décadas passadas por parteiras holandesas.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Desconecte-se




Checar o Twitter em pequenos intervalos, verificar a página no Facebook várias vezes ao dia e nunca desligar o Blackberry ou o iPhone são alguns dos sintomas de uma já considerada doença moderna: a FOMO - sigla para "fear of missing out" (em português: "medo de ficar de fora").

Uma pesquisa realizada nos EUA e na Inglaterra revelou que 70% dos entrevistados tinham experimentado a sensação de FOMO.

Essa sensação ocorre quando você sente uma vontade louca de acessar logo suas redes achando que há um turbilhão de fatos ocorrendo e você está totalmente por fora.

De acordo com o Dr. Ricardo de Oliveira, coordenador de neurociência do Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino, essa não é uma doença nova, apenas um novo nome para algo velho: "a sensação de se sentir excluído". Para o médico, é preciso ficar atento ao comportamento na vida real, observe que tanto está prejudicando as relações com familiares, por exemplo.

Se sentir excluído por não estar online acompanhando o que dizem e fazem os amigos pode provocar transtornos mais graves que o fato de querer estar sempre conectado: fadiga, falta de sono e transtornos de ansiedade são alguns dos efeitos físicos. Uma dica é tentar diminuir o ritmo: desconecte-se!

Outras sugestões para os viciados nas redes sociais:

- Controle o tempo que fica conectado;
- Evite olhar emails à noite e aos finais de semana;
- Tente ficar algumas horas sem Twitter, Facebook...
- Desligue o celular quando for dormir;
- Ao acordar, tente tomar café antes de checar as redes ou as caixas de email;
- Passe mais tempo com os amigos de verdade (e não com os virtuais);
- Se conseguir, separe um dia da semana para ficar totalmente desconectado.

E lembre-se: a vida lá fora é muito mais interessante que ficar acompanhando, pelas redes sociais, a vida de outra pessoa!

Fonte: http://jornalismoeinteratividade.blogspot.com

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Calculo renal: previna-se!

Os cálculos renais costumam aparecer mais de uma vez na vida daquelas pessoas que já tiveram pedra nos rins. Também chamado de litíase urinária, ou simplesmente pedra nos rins, o cálculo renal consiste em formações sólidas compostas de sais minerais (principalmente cálcio e fósforo) e outras substâncias, como o ácido úrico, por exemplo.

Essas cristalizações, parecidas com um tipo de areia, formam-se tanto nos rins quanto na bexiga e atingem os mais variados tamanhos. Além disso, podem migrar pelas vias urinárias, causando muita dor e complicações.

Muitas vezes o paciente não percebe que tem cálculo renal porque, dependendo do tamanho, os sintomas são inexistentes e o cristal (“areia”) acaba sendo expelido naturalmente junto à urina. Porém, também há casos de cálculos muito grandes que crescem de forma silenciosa e, às vezes, destroem o rim sem que o problema seja notado.

Os cálculos que geram sintomas são normalmente aqueles que migram pelo trato urinário. O indivíduo deve desconfiar se sentir uma dor aguda na área próxima aos rins - localizados na região lombar, logo abaixo dos pulmões -, que pode ser acompanhada de febre, náuseas e vômitos.

Na maioria das vezes, os sintomas da cólica renal têm início abrupto e todos os que já passaram por essa experiência relatam que a dor é muito forte. Observe também se a cor da urina está alterada e se há muita vontade e desconforto ao urinar. Dependendo, pode ocorrer a presença de sangue na urina.

A causa exata da formação dos cálculos nem sempre é conhecida. Fatores como má alimentação, pouca ingestão de líquidos, principalmente água, mau funcionamento do sistema urinário e predisposição genética costumam ser os agentes mais comuns.

Para se prevenir, é de extrema importância o aumento da ingestão de líquidos - cerca de dois litros por dia para uma pessoa adulta; a redução de sal, proteína animal e de certos tipos de alimentos ricos em cálcio (como queijos, leite e chocolate) na dieta diária; e manter hábitos de vida saudáveis, como a prática de exercícios físicos e uma alimentação balanceada.

Dr. Ricardo Greca, urologista do Hospital Copa D’Or.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Imagens de ressonância magnética cerebral podem identificar psicopatas




Recente estudo do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR), publicado na revista britânica Social Neuroscience em maio de 2011, identificou um possível método para detectar a psicopatia com base em exames de imagem estrutural do cérebro.

A principal implicação do trabalho científico é a possibilidade de se utilizar marcadores biológicos objetivos, no caso, exames anatômicos do cérebro feitos por meio de Ressonância Magnética, como informação adicional para identificação do distúrbio de personalidade, além da habitual avaliação comportamental e psicológica.

“Este estudo mostra a possibilidade de, em um futuro próximo, identificar um psicopata utilizando técnicas computacionais a partir de imagens cerebrais de um indivíduo”, afirma Jorge Moll, neurocientista e presidente do IDOR.

Na pesquisa, conduzida por João R. Sato, Ricardo de Oliveira Souza, Jorge Moll e outros pesquisadores, foram avaliados dois grupos, sendo 15 pessoas sem alterações psiquiátricas/comportamentais e 15 psicopatas.

Os participantes foram submetidos à exame de Ressonância Magnética, e as imagens processadas utilizando uma técnica chamada de morfometria baseada em voxel (VBM), que consiste na análise computacional do cérebro de todos os indivíduos num espaço tridimensional a fim de comparar ponto a ponto da massa cinzenta dos 30 envolvidos na pesquisa.

Em seguida, foi utilizado um sofisticado algoritmo para cruzamento dos dados de todas as regiões da massa cinzenta. Foi constatado que o sulco temporal superior, na região lateral direita do cérebro, é a área do cérebro que continha as informações mais relevantes para separar as duas populações, permitindo dizer se a pessoa é um indivíduo controle ou psicopata com uma precisão de 80%.
“Obviamente, esta acurácia ainda está longe de sugerir que o método poderia ser usado como teste diagnóstico, mas os resultados abrem portas promissoras para futuras investigações”, observa Jorge Moll.

Em uma visão futurística – que nos remete ao filme “Minority Report”, o método poderia ser usado, por exemplo, para identificar indivíduos perigosos após passarem por um scanner de ressonância magnética.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Cirurgia com robôs




Os robôs Da Vinci e Zeus chegaram aos hospitais para ficar. Controlam instrumentos laparoscópicos, câmeras e salvam vidas.

Hoje, como se fossem videogames, os novos modelos são acionados por consoles dotados de pedais que manipulam os braços mecânicos e sistemas de voz que movimentam câmeras capazes de formar imagens tridimensionais, dependendo do modelo.

Nos centros cirúrgicos dos Estados Unidos, os robôs já são 1.500; na América Latina, 14; e, no Brasil, quatro. Apesar de não saberem diferenciar um pâncreas de uma próstata, eles alcançam áreas de difícil acesso e não erram, se forem bem guiados pelo cirurgião.

No caso de próstata, isso é evidente. Pesquisas mostram que, com eles, é possível aumentar em 50% a chance de se preservar a potência sexual, em caso de retirada de próstata.

Há maior segurança nos procedimentos com robôs. A grande vantagem dele é o aumento de liberdade de movimentação das pinças do cirurgião, as quais são mais articuladas principalmente em suas extremidades. O possível tremor do médico é eliminado pelo sistema e não é transmitido para o campo operatório. Outro benefício é o posicionamento ergonômico do cirurgião, diminuindo a chance de erros por fadiga.

No Inca, entre 20% e 25% das cirurgias já são feitas com técnicas minimamente invasivas, como videolaparoscopia e neuroendoscopia, em que se usa instrumentos óticos para acessar o tumor. Elas são indicadas em operações colorretais, urológicas e ginecológicas, principalmente, mas também na retirada de tumores cerebrais, dependendo do caso. Este número tende a crescer no segundo semestre de 2012, quando a técnica robótica será acrescentada a este arsenal.

O que a robótica traz de avanço é que a visualização é melhor, e é possível manipular (a região operada) até mais com o braço mecânico do que com a mão humana, em razão do alcance. Ele acessa locais onde a mão humana tremeria e tem sensores capazes de sinalizar que não se deve ir adiante, dependendo das condições do tecido que está sendo tocado.

Assim que estiver treinada no manejo do equipamento, a equipe do Inca começará a preparar profissionais de outros hospitais do Sistema Único de Saúde.

A Rede D’Or vai investir em tecnologia robótica e treinamento de profissionais para usá-la em intervenções nas áreas de urologia, ginecologia, cardiologia e cirurgia geral. O método será usado principalmente no Copa Star, hospital de alto luxo da rede que está sendo construído em Copacabana, a 50 metros do Copa D’Or, com previsão para inauguração em 2013.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011




A correria do dia a dia, a alimentação desequilibrada, a poluição e o nível de estresse, principalmente de quem vive nos grandes centros urbanos, contribuem para o surgimento precoce de muitos problemas de saúde.

Por isso, o ritmo de vida atual exige uma série de cuidados especiais com o corpo, como ingerir alimentos melhores, praticar exercícios físicos e até mesmo relaxar, o que tem sido cada vez mais difícil para grande parte da população.

Tradicionalmente, seja por falta de tempo ou de conhecimento, muita gente só costuma procurar o médico quando sente algum sintoma, o que pode significar problemas de saúde em estágio já avançado, que, se tivessem sido detectados prematuramente, poderiam ser mais facilmente solucionados.

Por essa razão, a recomendação de check-ups regulares não apenas a quem já passou dos 40, mas também para pessoas mais novas, mesmo que não apresentem, aparentemente, qualquer sinal de doenças, tem sido cada vez mais comum por parte dos especialistas. A bateria de exames é capaz de detectar alterações no funcionamento do organismo e orientar o paciente a adequar hábitos de vida, evitando problemas futuros de saúde.

De acordo com o Dr. João Carlos Brito, cardiologista do Hospital Copa D’Or, a ênfase na população jovem é importantíssima, visto que a sociedade sofreu muitas mudanças nos últimos anos, tornando doenças antes predominantes em pessoas com 50 ou 60 anos, comuns em indivíduos na faixa dos 30.

O estresse do trabalho e as cobranças aumentaram muito, assim como o padrão nutricional se modificou. A qualidade dos alimentos não é mais a mesma, além da grande quantidade de agrotóxicos e conservantes no que comemos. Junte a isso hábitos que não se tinha antes, como beber e fumar muito, consumir café em excesso e junky food, e fica claro por que recebemos tantos pacientes com um perfil metabólico desfavorável”, afirma o especialista.

Confira os exames básicos de um check-up:

A série de exames do check-up é elaborada de acordo com a necessidade de cada paciente. Idade, sexo e histórico familiar são fatores preponderantes para a indicação de quais análises devem ser feitas ou não. Apesar de variarem de pessoa para pessoa, os mais comuns são:


1 - Análises clínicas

Hemograma completo

Dosagem hormonal

Perfil Lipídico

Hepatite e outras sorologias

Bioquímica
Urina
Fezes

2 - Radiologia / Ultrassonagrafia

Raios X de tórax

Ultrassonografia de abdome total com vias urinárias

Ultrassonografia de próstata

Ultrassonografia de mama

Ultrassonografia de pelve transvaginal


3 – Nutricional

Bioimpedância corpórea

Antropometria

4 - Métodos gráficos

Ecocardiogra a de repouso

Teste ergométrico

Ecocardiograma

Doppler de carótidas e vertebrais

Angio tomografia computadorizada de coronárias e score de cálcio

Ressonância magnética de coração (caso necessário)

Tomografia computadorizada de crânio (caso pertinente)


5 - Consultas Médicas

Cardiologia

Dermatologia

Oftalmologia

Entre outras especialidades, quando necessário

6 - Grupo Multidisciplinar

Avaliação com nutricionista

Consulta com fisioterapeuta

Visita de professor de educação física

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Atenção para o uso de remédios durante a gravidez

Durante a gestação, as mamães precisam redobrar a atenção sobre diversos aspectos da vida: o que comer, o quanto dormir, como se exercitar, etc. E um cuidado muito importante que precisa ser tomado no decorrer da gravidez diz respeito aos medicamentos consumidos pela gestante.

Em entrevista para a revista Crescer, Humberto Tindó, coordenador do setor de obstetrícia do Hospital Quinta D’Or, afirma que muitas vezes as pacientes chegam ao consultório declarando que utilizam suplementos vitamínicos: “É uma tendência. Muitas mulheres chegam no consultório tomando ou por conta da academia ou porque acreditam que é importante para a gravidez. Quem não toma e está grávida, pede”.

É importante que toda e qualquer medicação consumida pela gestante seja prescrita unicamente pelo obstetra e, caso ela já faça uso de algum remédio, informar o nome para o médico a fim de saber se a sua ingestão acarreta algum risco para o bebê.

Existem certas substâncias que são terminantemente proibidas para quem está grávida ou deseja engravidar:

Sinvastatina: usada para controlar os índices de colesterol no sangue. O seu uso pode causar má formação nos órgãos do feto.

Tetraciclina: antibiótico, pode provocar problemas nos ossos do bebê.

Talidomida: indicado para o tratamento de hanseníase, AIDS, lúpus e alguns tipos de câncer. Causa má formação nos membros superiores e inferiores do feto em qualquer fase da gestação.

Isotretinoína: utilizada em casos de acne severa, causa má-formação. Só pode ser vendida com uma receita especial e a paciente precisa assinar um termo de responsabilidade, se comprometendo a não engravidar.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Como proteger as crianças dos perigos do verão?


O verão é sinônimo de férias escolares, por isso, os pais devem ficar atentos também na hora da diversão.

Para o Dr. Marcelo Reibscheid, pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz, as crianças devem ficar expostas ao sol somente até as 10h e depois das 16h, sempre com proteção de filtros solares.

Para bebês de até seis meses a recomendação é de apenas 20 minutos dentro do mesmo período.

Quando o assunto é a alimentação das crianças, é importante tentar evitar ao máximo que elas consumam alimentos muito gordurosos, expostos ao sol, ou com conservação inadequada. Nos passeios, o ideal é levar frutas e líquidos bem refrigerados, para oferecer a elas na hora do lanche.

“As crianças muitas vezes se recusam parar as brincadeiras para se hidratarem”, afirma Dr. Marcelo. Mas, de acordo com o especialista é preciso que os pais ou responsáveis sejam incisivos neste momento, pois a desidratação pode ser muito comum entre crianças por conta do calor excessivo.

Seguindo o conselho do especialista é possível que as crianças aproveitem as férias de forma divertida, e os pais, de maneira tranquila.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Coma é estar em sono profundo sem consciência





Estar em sono profundo sem qualquer sinal de sonhos e pensamentos é o estado das pessoas em coma. Na grande maioria dos casos, quem permanece nesta condição não possui consciência do que ocorre no ambiente, nem indícios de atividade mental subjetiva.

Exatamente o que ocorre quando nos submetemos a uma anestesia geral. “Geralmente, o indivíduo não pode ser acordado por mais intensos que sejam os estímulos aplicados com este intuito”, afirma Dr. Ricardo de Oliveira Souza, coordenador de Neurociências do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR).

Inúmeros fatores podem conduzir alguém ao coma, a exemplo de causas metabólicas - doenças renais, hepáticas e respiratórias-, traumatismos crânioencefálicos e os acidentes vasculares cerebrais hemorrágicos.

“O coma jamais persiste além de alguns dias a poucas semanas”, informa Dr. Oliveira. Após este prazo, o paciente evolui ao estado vegetativo, quando passa a abrir os olhos durante períodos do dia sem que isso signifique a recuperação da consciência.

“Quanto à possibilidade de retomada da consciência a partir do estado vegetativo, este fenômeno é extremamente raro, mas há registros de casos isolados em que tenha acontecido”, pontua o especialista.

Os danos trazidos ao organismo depois de coma ou do estado vegetativo são impactantes, variando de demência, comprometimento visual e da linguagem, além de paralisia.

“Casos tratados com os meios atuais de sustentação da vida podem durar em estado vegetativo por tempo indefinido, principalmente se o paciente for jovem e previamente saudável”, diz.

Entenda o coma

 Causas: metabólicas, traumatismos crânioencefálicos e acidentes vasculares cerebrais hemorrágicos.

 Como é diagnosticado: o coma é caracterizado por inconsciência de olhos fechados e ausência de tônus postural.

 Funcionamento do organismo no coma: não possui consciência. Funções vegetativas preservadas, como respiração, excreção, digestão e regulação da temperatura.

 Reação do corpo após sair do coma: do ponto de vista cognitivo, a pessoa vai rapidamente se atualizando nos acontecimentos que tiveram lugar durante o período de inconsciência, tanto relacionados ao mundo quanto a ela própria. Ao mesmo tempo escaras, paralisias e distúrbios de linguagem são reabilitados por especialistas treinados na área.

 Possíveis sequelas: demência, comprometimento visual e da linguagem, paralisias.

 Tratamento após acordar: reabilitação motora, da linguagem, ocupacional e psicoterápica, dependendo de cada caso.

 Porcentagem de pessoas que acordam do coma: cerca de 25% dos casos.


Entenda o estado vegetativo

 Causas: as mesmas que levam ao coma, pois o estado vegetativo é um
desdobramento temporal do coma.

 Como entra nesta condição: após algumas semanas, o coma se transforma no estado vegetativo, quando os olhos ficam abertos durante algumas horas do dia.

 Funcionamento do organismo no estado vegetativo: como o nome indica, o organismo desempenha todas as funções de um vegetal: respira, faz a digestão, a circulação e a excreção de resíduos orgânicos.

 Impactos no organismo: as mesmas do coma.

 Porcentagem de pessoas que acordam do estado vegetativo: menos de 3% dos casos e, ainda assim, com graves sequelas cognitivas.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Hoje é o Dia Mundial de Combate à Aids!




A doença foi descoberta há 30 anos e, desde então, profissionais vêm procurando a cura para este mal. De lá para cá, mais de 15 antiretrovirais foram descobertos e vêm sendo usados em combinação para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

“A maioria das pessoas descobre que foram infectadas quando ficam doentes ou quando precisam fazer exames de sangue. Em outros casos, o paciente percebe um emagrecimento sem justificativa, diarréias e manchas no corpo”, explica a infectologista do Hospital Quinta D’Or, Dra. Isabel Tavares.

A especialista explica também que as mulheres são mais facilmente infectadas devido à anatomia da vagina. “Com o ato da penetração, é muito mais fácil que o sêmen atinja a área vaginal do que o contrário”, adverte.

Antes de 1990, não existia tratamento para os portadores do vírus. A comunidade médica tratava as crises, como pneumonia e outras doenças, e tentava proporcionar ao paciente uma boa qualidade de vida.]

Hoje o quadro mudou! Quando diagnosticados a tempo, alguns pacientes nem precisam começar a tomar o coquetel de medicamentos e todos podem ter uma vida completamente normal. “Tudo depende do paciente, mas com os tratamentos que temos hoje, os portadores do vírus podem fazer tudo o que quiserem. É preciso ter cuidado quando se machucam e quando têm relações sexuais. Fora isso, vida normal!”, diz Dra. Isabel.

Infelizmente, a evolução do tratamento veio junto com um descaso da população. É sabido que os casos de infecção têm aumentado potencialmente em jovens homossexuais. No meio heterossexual também não ouve queda. “É preciso que a população se conscientize. Não é porque os pacientes têm uma boa qualidade de vida que a doença não vai causar nenhum dano a eles”, diz Dra. Isabel.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Enxaqueca - seus sintomas e tratamentos




Pelo menos 20% da população brasileira sofre com enxaqueca. Em alguns casos, as dores provocadas pela doença podem até incapacitar uma pessoa.
Dr. Christian Naurath, neurologista do Hospital Rios D’Or, fala sobre este mal:

“A enxaqueca é uma desordem muito comum. Uma dor que pode se tornar crônica, mas geralmente trata-se de uma dor moderada à intensa, com características pulsáteis, unilaterais que podem estar associadas à náuseas, enjôo, vômito, incomodo com barulhos, odores ou luminosidade.

O tratamento da enxaqueca pode ser sintomático, para o momento das crises. Existem várias medicações para o tratamento, mas o ideal é que sejam recomendados por um especialista.

Existe também o tratamento profilático, que é um tratamento que previne a crise e é recomendado quando elas são muito intensas e com uma frequência maior do que três vezes ao mês.

É importante que os pacientes que sofrem com enxaqueca procurem melhorar a sua qualidade de vida, praticando atividades físicas, tendo boas noites de sono, evitando bebidas alcoólicas e fumo e alimentando-se adequadamente.

É sabido que vinhos, alguns tipos de queijos amarelos, chocolate e mesmo crises de estresse pode provocar fortes enxaquecas.

O mais importante é evitar a auto-medicação!”

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O que fazer em casos de acidente?




Com as festas e férias chegando, o número de pessoas e carros nas ruas aumenta. Com isso, aumentam também os acidentes. De acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), em dezembro do ano passado, 630 pessoas morreram atropeladas em São Paulo. Os dias em que mais ocorrem acidentes costumam ser sexta-feira e sábado.

Nesta época, é importante redobrar a atenção principalmente com crianças e idosos.
Se você tem filhos pequenos, jamais os deixe brincando sozinhos na rua. Lembre-os sempre de olhar a rua para os dois lados antes de atravessar e segure bem firme as mãos deles ao cruzar de um lado para o outro, pois muitas vezes a criança pode se soltar e sair correndo porque viu algo interessante ou porque se distraiu e acabam sendo vitimas de graves acidentes.

No carro, as crianças devem estar presas nas cadeiras veiculares e com cinto de segurança. Nunca as deixe soltas.

O cirurgião torácico Hassan Ahmed Yassine Neto, do Hospital e Maternidade São Luiz, associado da Rede D’Or, e especialista em atender casos de lesões graves, alerta que no caso de acidentes automobilísticos, como colisão entre veículos e atropelamentos, é primordial adotar medidas que agilizem no socorro à vítima:

“Para um bom atendimento destes casos, é preciso contar com médicos preparados e bem treinados, além de estrutura e de equipamentos adequados”, explica o médico.

Hassam, que integrará a equipe de profissionais da Rede D’Or São Luiz no atendimento médico-hospitalar da Fórmula 1, dá dicas para agilizar o socorro e o atendimento às vítimas no caso de traumas causados por acidentes.

Saiba o que fazer nestes casos:


1. Ligar para o número 192 (Samu) ou 193 (Resgate dos Bombeiros);

2. Informar o que ocorreu de maneira objetiva. Evite falar sobre gravidade ou demais informações subjetivas, por exemplo. É mais eficaz comunicar número de vítimas, tipo do acidente (colisão de carro com carro, moto com carro, ônibus com carro, entre outros), se as pessoas estão desacordadas;

3. Em locais de difícil acesso, marque um ponto de encontro com os profissionais do Samu ou do Resgate;

4. Preservar a segurança das vítimas, principalmente se o acidente ocorreu em vias rápidas. É importante sinalizar o local para que outros acidentes não aconteçam;

5. Procure captar o máximo de dados da vítima - se tem alergia ou alguma doença, se toma algum medicamento - porque ela pode perder o sentido a qualquer momento.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

23 de novembro: Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil





Com base em referências dos registros de base populacional, são estimados mais de 9 mil novos casos de câncer infanto-juvenil no Brasil por ano. Assim como em países desenvolvidos, no Brasil, o câncer já representa a segunda causa de mortalidade proporcional entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos, para todas as regiões.

O câncer infantil corresponde a um grupo de diversas doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo.

Diferentemente do câncer de adulto, o câncer da criança geralmente afeta as células do sistema sanguíneo e os tecidos de sustentação, enquanto que no adulto afeta as células do epitélio, que recobre os diferentes órgãos (câncer de mama, câncer de pulmão).

Estima-se que em torno de 70% das crianças acometidas pelo câncer podem ser curadas se diagnosticadas precocemente e tratadas em centros especializados. A maioria dessas crianças terá boa qualidade de vida após o tratamento adequado.

Pensando nisso, Centro de Oncologia da Rede D’Or foi inaugurado com o objetivo de diminuir o tempo entre o diagnóstico e o tratamento das doenças oncológicas, um dos períodos mais angustiantes para os pacientes.

Com esse foco, uma estrutura ambulatorial de Oncologia Clínica está associada a um arsenal de equipamentos diagnósticos de última geração, como tomografia computadorizada, ressonância magnética e serviço de Hemodinâmica.

Dr. Alexandre Palladino, médico responsável pela área de Oncologia Clínica, diz que o grande destaque do Centro fica por conta do serviço de Radioterapia e Radiocirurgia, que oferece alta tecnologia e ainda mais precisão nos procedimentos.

Outros diferenciais importantes são os investimentos em pesquisa, na multidisciplinaridade e formação da equipe, que conta não apenas com psicólogos, nutricionistas e oncologistas gerais, mas também com médicos de áreas específicas da Oncologia, como sublinha o Dr. Palladino:

“Os psicólogos e nutricionistas acompanham os pacientes e familiares durante todo o processo e os oncologistas especializados em tipos de tumores específicos agregam uma segunda opinião a quadros complexos, avaliando caso a caso.
Nos orgulhamos em ter uma atuação consistente em pesquisa clínica, em parceria com o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino, o que demonstra um aprimoramento contínuo da equipe e das condutas médicas aplicadas”.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Hepatites Virais



Com mais de 500 milhões de casos em todo o mundo, número dez vezes maior do que o de portadores do vírus da Aids, as hepatites virais são hoje uma questão de saúde pública que não conhece fronteiras.

Bem mais comuns do que as formas bacterianas, as hepatites virais ocorrem quando vírus provocam a inflamação do fígado e atingem desde crianças até idosos. Por isso, entender as formas de contágio e como se prevenir é o mais indicado.

A hepatite pode ser classificada como tipo A, B, C, D ou E, dependendo do seu agente causador, acarretar maiores ou menores danos ao organismo. O perigo mais grave, porém, é quando o problema não é identificado e tratado corretamente. As hepatites crônicas têm a capacidade de, silenciosamente, comprometer as funções do órgão e gerar sequelas irreversíveis, até mesmo fatais.

É o que alerta a hepatologista Maria Chiara Chindamo, coordenadora do serviço de Clínica Médica do Hospital Barra D’Or: “Os vírus do tipo B, C e D são os mais graves, pois podem causar infecção crônica do fígado, passível de se prolongar por toda a vida e resultar em cirrose, insuficiência hepática e até câncer.”

Os casos mais comuns da doença são dos tipos A, B e C. “As hepatites A e E são transmitidas por via oral, pela ingestão de alimentos e água contaminados. Já as B e C são adquiridas por meio de hemodiálise, contato com sangue contaminado e também sexualmente”, explica a médica, destacando o fato de que a D (delta), por sua vez, é mais rara.

Embora os tipos de hepatite e formas de contágio sejam diferentes, os sintomas agudos, em geral, são bastante parecidos. “Comumente, as hepatites se manifestam por surgimento de icterícia (coloração amarelada dos olhos, da pele e das mucosas), escurecimento da urina e descoloração das fezes, podendo também estar associadas a febre, mal-estar, perda de apetite, enjôo e dor na região superior direita do abdome, onde está o fígado”, diz a Drª. Maria Chiara.

É importante lembrar, porém, que algumas pessoas podem apresentar manifestações assintomáticas ou pouco expressivas, o que acaba fazendo com que o diagnóstico passe despercebido, ou seja, confundido com uma infecção viral qualquer.

A discriminação do tipo de hepatite demanda exames específicos, denominados sorologias virais, que identificam a presença de anticorpos produzidos para combater a cada vírus. Baseado no resultado, outro exame de sangue é solicitado para definir se a infecção está presente no organismo ou se já foi curada. A boa notícia é que, apesar de serem doenças relativamente preocupantes, os tratamentos disponíveis são bastante eficazes: “Só é necessário tratamento médico para as hepatites B e C que se tornaram crônicas, pois os outros tipos são tratados apenas com repouso durante a fase aguda, até que os valores das análises hepáticas voltem ao normal”, diz a hepatologista.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Games: prós e contras para as crianças




Há 20 anos os videogames se popularizaram no Brasil. Junto com eles também veio a preocupação dos adultos em relação à sua influência no comportamento das crianças.
Opiniões de especialistas vão desde as mais radicais, que apóiam a restrição do uso para menores de 16 anos, até entusiastas, que veem nos games uma forma divertida de aprendizado.

A novidade é que, se os pais de hoje tiveram de lidar na infância e adolescência com o desconhecimento de seus progenitores sobre os jogos eletrônicos, hoje as crianças podem encontrar em casa, verdadeiros parceiros de diversão.

“Temos pouca literatura sobre a influência dos games, pois eles só se tornaram acessíveis a grande maioria da população há pouco tempo, mas já pudemos concluir que a brincadeira deve ser limitada a cerca de duas horas por dia. As outras conclusões ainda vão precisar de mais estudos, para terem melhor embasamento”, observa o pediatra Dr. Grant Carvalho, do Hospital Copa D’Or.

Confira os prós e contras dos games eletrônicos

• Prós:

- Interatividade com o jogo e com outros jogadores;
- Aprendizado sobre novas línguas, culturas, valores sociais e diferentes estilos de artes;
- Compreensão de narrativas complexas;
- Causar reflexão, devido à narrativa e às mecânicas que colocam o jogador para pensar;
- Transmitir educação por meio da interação;
- Treinar a coordenação motora e o raciocínio, desenvolvendo a inteligência e a resolução de problemas.

• Contras:

- Dificuldade em relacionamentos fora do ambiente do jogo;
- Dificuldade em lidar com problemas reais;
- Competitividade excessiva;
- Alimentação incorreta;
- Dessensibilização dos sentimentos, no caso dos jogos violentos;
- Postura errada;
- Dificuldade em fixar atenção e em memorização;
- Lesão por Esforço Repetitivo (LER), que no caso dos games, atinge principalmente as mãos.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino – o DAEM


Assim como as mulheres, os homens também sentem os efeitos da idade. O que nelas é chamado de menopausa, neles leva o nome de Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM).

O que popularmente é chamado de “andropausa”, termo que reúne os sintomas causados pela queda hormonal, tende a aparecer a partir dos 50 anos e atinge cerca de 60% da população masculina com mais de 65 anos.

Embora não receba a devida atenção por boa parte dos homens, o DAEM pode ser facilmente detectado por meio de consultas e exames médicos regulares, como orienta o urologista do Hospital Copa D’Or, Dr. Renato Muglia.

“Em consultas periódicas, o urologista vai investigar e confirmar o aparecimento dos sintomas, que costumam ser a diminuição do desejo sexual, da qualidade de ereção, da atividade intelectual, dos pelos, da densidade óssea, assim como aumento da gordura visceral e alterações de pele.

Ao contrário da menopausa, no caso do DAEM, o uso de medicação oral não é apropriado, pois os efeitos tóxicos são prejudiciais ao fígado. “Os homens que desejam fazer a reposição hormonal devem primeiramente submeter-se a uma avaliação urológica de próstata e a terapêutica deve ser de comum acordo entre médico e paciente”, explica Renato Muglia.

Uma opção para eles é o uso de produtos aplicados via intramuscular a cada três meses, como adesivos transdérmicos, ou géis, que devem ser utilizados diariamente e são capazes restabelecer os níveis normais de testosterona, diminuindo sintomas.

Mas atenção, o DAEM não pode ser encarado como doença, e sim como mais uma fase da vida. “Muitas pessoas são levadas a acreditar que podem manter a juventude a qualquer preço, ainda que com o uso inadequado de medicamentos potencialmente danosos à saúde. O conhecimento de que o envelhecimento faz parte da vida e pode ser um período especialmente feliz é essencial”, afirma o Dr. Salo Buksman, geriatra do Hospital Copa D’Or

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Rede D’Or/São Luiz preparada para atendimento médico do GP Brasil de Fórmula 1


Em 11 anos, o atendimento médico do Hospital São Luiz consolidou-se como padrão internacional e é reconhecido pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) como “um dos melhores do circuito mundial, com equipes médicas capacitadas, motivadas e bem lideradas”.

Precisão e alta qualidade se destacam como resultado do empenho da equipe médica liderada pelo responsável médico do Grande Prêmio do Brasil, o cirurgião Dr. Dino Altmann.

Apesar dos treinos e da corrida principal acontecerem entre os dias 25 e27 de novembro, a Rede D’Or São Luiz montará seu Centro Médico dentro do Autódromo José Carlos Pace (Interlagos) na semana do GP, prevendo atender pilotos e equipes em caso de necessidade. Ali ficará disponível a mesma estrutura encontrada 365 dias do ano em suas unidades - equipes qualificadas, ambulâncias, medicamentos e equipamentos de última geração necessários para todo o tipo de emergência.

Em Interlagos, são mais de 173 profissionais envolvidos - entre médicos especialistas em traumas, enfermeiros, bombeiros e administrativo -, 10 ambulâncias, 4 carros de intervenção médica, 3 carros de extração (para a imobilização e a retirada do piloto de dentro do carro), 3 leitos de emergência, 2 leitos de UTI, laboratório de análises clínicas, raio-x, ultrassom e um consultório oftalmológico. Além do Centro Médico, dois helicópteros ficam à disposição, prontos para seguir até as unidades de retaguarda, caso haja necessidade. Em cada uma delas 40 especialistas permanecem disponíveis para dar continuidade ao diagnóstico, ao tratamento e à internação do traumatizado.

Conta Altmann que todos os especialistas, apesar de capacitados, participam anualmente de novos treinamentos. E para acompanhar esta evolução, os responsáveis pela operação junto à Fórmula 1 comparecem a encontros internacionais promovidos pela FIA, buscando a troca de informações sobre as condições mundiais de segurança no automobilismo desportivo.

Experiência em eventos de grande porte

Não é apenas para a F-1 que a Rede D’Or-São Luiz tem levado sua experiência em atendimento médico. O grupo participa de outros eventos de grande porte como Stock-Car, parceria de 13 anos; World Bike Tour, realizado em São Paulo (SP), com 7 mil presentes; Criança Esperança, que contou com a assistência do grupo e, mais recentemente, Rock in Rio, onde prestou 8,6 mil atendimentos em sete dias, nos cinco postos montados dentro da Cidade do Rock.

Além de levar a estes eventos a excelência em tratamentos de alta complexidade, a Rede D’Or-São comprova sua capacidade para atuar em grandes eventos, o que reforça a experiência e a qualidade dos médicos e serviços em prol dos pilotos e do público em geral.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Não perca o terceiro episódio da série "Nascer" , fruto da parceria entre a Rede D'Or São Luiz e a Rede Globo!

Cuidados e riscos do AVC




De acordo com a OMS, Organização Mundial de Saúde, o AVC é responsável pela morte de cinco milhões de pessoas em todo mundo a cada ano. No Brasil, são mais de 100 mil pessoas por ano. Segundo o Ministério da Saúde, um em cada seis brasileiros corre risco de sofrer um derrame.

O neurologista do Hospital Barra D'or, Dr. André Lima, é especialista em prevenção da doença e explica que o acidente vascular cerebral é uma alteração do fluxo de sangue no cérebro, que ocorre por falta ou extravasamento de sangue em alguma região do corpo. O especialista diz ainda que é possível sim se prevenir contra o AVC.

Conheça os fatores de risco para a doença:

• Pressão alta

Dr. André lima explica que as paredes internas das artérias sofrem traumas por causa do fluxo do sangue mais forte. “Esses traumas formam pequenos ferimentos nas paredes, que podem obstruir a passagem do sangue (AVC isquêmico) ou romper a parede da artéria (AVC hemorrágico)”, diz.

• Tabagismo

O cigarro aumenta a coagulação do sangue, deixando-o mais grosso e aumentando as chances do derrame. "Pessoas que fumam e usam contraceptivos orais têm riscos maiores ainda, pois os hormônios dos anticoncepcionais também interferem na coagulação sanguínea", explica Dr. André Lima.

• Diabetes

O excesso de glicose no sangue aumenta a coagulação e o deixa mais viscoso. "Isso diminui o fluxo de sangue das artérias e pode levar a um AVC", conta Dr. André Lima.

• Doenças do coração

De acordo com Dr. André Lima, arritmias cardíacas podem formar pequenos coágulos dentro das artérias e veias do coração. "Esses coágulos podem ser enviados às artérias cerebrais, provocando um AVC isquêmico", explica.

• Colesterol

O excesso de colesterol no sangue aumenta o espessamento e endurecimento das artérias. Esse processo provoca arteriosclerose - endurecimento das artérias - e prejudica a oxigenação do cérebro, aumentando o risco de AVC.

• Sedentarismo e obesidade

A prática de exercícios físicos é fundamental para controlar praticamente todos os fatores de risco de AVC. Por outro lado, a falta desse hábito e a obesidade só aumentam as chances.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Incontinência urinária


No Brasil, cerca de 10% das mulheres entre 18 e 35 anos, 20% das acima de 50 anos e até 35% das com idade superior a 60 sofrem com a incontinência urinária. O problema mexe com a qualidade de vida da pessoa, causando vergonha, depressão e até isolamento.

Mudanças de hábito, medicação, fisioterapia, cirurgia, muitos são os tipos de tratamento. Existem até exercícios preventivos para serem realizados em casa mesmo, mas o ideal é a supervisão de um profissional habilitado.

Dr. Eduardo Barreto, coordenador do Serviço de Neurocirurgia do Norte D’Or, lembra que algumas situações podem ser corrigidas a partir da Neuromodulação. “A técnica visa restabelecer alguma ordem na comunicação dos neurônios, ou melhor, regular os impulsos elétricos entre as células nervosas. Estímulos elétricos enviados por um pequeno dispositivo, o neurotransmissor, colocado no abdômen, controlam a ação do esfíncter da bexiga, amenizando assim a incontinência”, explica.

Alguns planos de saúde cobrem o procedimento. Em alguns estados do Brasil, o tratamento já beneficia inclusive pacientes do SUS. Lamentavelmente, poucos médicos brasileiros estão aptos a utilizar-se da tecnologia.

A prevenção, contudo, é sempre a melhor das armas. Controle o estresse, o peso, evite relações sexuais sem proteção, a constipação – uma vez que o esforço para evacuar acaba forçando indevidamente a musculatura pélvica -, tenha cuidado com exercícios de forte impacto e com infecções, em especial a cistite, causa mais comum entre as jovens.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Saiba mais sobre o coma prolongado




Na novela “A Vida da Gente”, a personagem Ana, vivida pela atriz Fernanda Vasconcelos, entrou em coma após sofrer forte trauma craniano. A personagem passou a viver em estado de mínima consciência por tempo prolongado e indeterminado.

O neurologista do Hospital Copa D’Or, Dr. Bernardo Liberato, acompanhou o laboratório realizado pelo ator Thiago Lacerda para viver o médico do folhetim. Dr. Bernardo explica o coma prolongado:

“Os casos mais comuns de coma ocorrem após traumas cranianos graves e AVCs extensos. Nos casos de estado vegetativo prolongado, apenas uma pequena parte dos pacientes volta à consciência plena por terem ficado tanto tempo sem interação com o mundo exterior. Tampouco há como saber o que se passa na mente do paciente, para desconforto dos familiares”, explica.

O neurologista afirma também que os estudos mais recentes dão conta da introdução de um estimulador elétrico cerebral para auxiliar os pacientes a recobrar pelo menos parte de sua consciência. No entanto, segundo o especialista, são poucos os casos realizados e os resultados ainda são escassos.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Residência Médica na Rede D'Or em 2012: as inscrições estão abertas!



A Residência em Medicina constitui uma modalidade de ensino de pós-graduação médica, sob a forma de curso de especialização, caracterizada por treinamento em serviço em regime de dedicação exclusiva sob a orientação de profissionais médicos especialistas com ampla expertise em suas áreas de atuação.

A Residência Médica na Rede D'Or de hospitais está presente nas áreas de cardiologia, medicina intensiva adulto, pediatria e radiologia com programas credenciados junto ao Ministério da educação e as sociedades médicas de especialidades.

Os programas de residência possuem vinculação ao Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino e desta forma além de priorizar o treinamento em serviço permitem a inserção do residente em projetos de pesquisa clínica em sua área de atuação.

A tecnologia e qualidade dos hospitais da Rede D'Or aliadas a uma visão de pesquisa e ensino trazem a formação de residentes na rede um forte diferencial para inserção futura no mercado de trabalho

Saiba mais sobre o programa aqui

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Rede D’Or promove Jornada de Fisioterapia


Nessa quinta-feira, dia 27/10, o Hospital Barra D'Or realiza a 12ª Jornada de Fisioterapia, que reunirá estudantes e profissionais da Rede D'Or para atualizar conhecimentos científicos e trocar experiências sobre a prática da rotina de um dos maiores hospitais gerais do país.

O evento, que acontece das 8h às 17h no auditório do hospital, é coordenado pelo chefe do setor de Fisioterapia do Barra D'Or, Dr. Jefferson Dias.

Ao todo, serão 13 palestras apresentadas por médicos e fisioterapeutas da Rede D'Or. Entre os temas, estão a questão da assistência e monitorização ventilatória dos pacientes, a reabilitação motora e cardíaca, dentre outras abordagens comuns no ambiente hospitalar.

Os universitários que participarem da 12ª Jornada de Fisioterapia da Rede D’Or, poderão se inscrever no processo seletivo para estágio no hospital. São 12 vagas, podendo participar estudantes que estejam matriculados em Janeiro de 2012 no 7º período. O início do estágio será em fevereiro de 2012 e pede-se disponibilidade mínima de 1 ano para os alunos que forem aprovados. O Barra D'Or aplicará prova no dia 01/11, terça-feira, pela manhã. Para ter acesso ao programa e à bibliografia clique aqui e encontre também informações sobre a Jornada.

domingo, 23 de outubro de 2011

De volta aos bailes dos anos 60




O som do Clube do Balanço e de Lincoln Olivetti agitaram a segunda noite do Copa Fest e fizeram com que as mesas do salão do Copacabana Palace abrissem espaço para os passos de dança do público, fazendo relembrar os bailes da década de 1960.

Os paulistas do Clube do Balanço abriram a noite com um show instrumental de sambalanço feito especialmente para o Copa Fest. Uma mistura de samba, rock e jazz que entreteve a todos os presentes.

Normalmente em seus shows, o Clube do Balanço toca apenas algumas músicas sem voz. Mas o convite de Bernardo Vilhena, curador do Copa Fest, fez com que a banda criasse um repertório exclusivo para o evento.

Saindo um pouco do instrumental, para atender ao pedido de bis do público, o Clube do Balanço voltou ao palco com a voz de um convidado especial: o cantor e compositor Orlandivo, ícone do sambalanço nos anos 1960.

Em seguida foi a hora do público curtir o estilo e balanço de Lincoln Olivetti, que comandou uma festa para ficar na história do festival. Desde o primeiro acorde, ninguém conseguiu ficar parado no salão.

Acompanhado de uma banda de peso, o “mago do pop”, Olivetti se mostrava muito à vontade no palco com músicos como Davi Moraes, na guitarra, Kassin, no baixo, Donatinho, nos teclados, e a percussão de Peninha, baterista do Barão Vermelho. O time de instrumentistas prestou uma homenagem a Ed Lincoln, considerado o “Rei dos Bailes” desde a década de 60.

O público, que reunia diversas gerações, respondeu à altura, dançando com muita animação do início ao fim do show. Empolgado com o clima da apresentação que já entrava pela madrugada carioca, Olivetti respondeu ao grito de “mais um” com a repetição de uma das música do repertório, escolhida pelo próprio público: Spinning Wheels. Depois, ainda encontrou espaço para o último bis que encerrou a noite de baile do Copa Fest.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Rede D'Or patrocina a 4ª edição do Copa Fest




Começa hoje a quarta edição do Copa Fest, evento que reúne alguns dos maiores nomes da música instrumental brasileira e conta com o patrocínio da Rede D’Or. Os shows começam começam hoje e vão até sábado, dia 22/10, no Salão Cristal do Copacabana Palace.
Artistas de renome internacional como Edu Lobo, Mauro Senise, Clube do Balanço, Arthur Verocai, Lincoln Olivetti, Gilson Peranzzetta e Airto Moreira estão entre as atrações.

O incentivo à cultura tem sido marca da Rede D’Or neste ano. Em 2011, a Rede foi responsável pelo atendimento médico do Rock in Rio e patrocinou o espaço infanto-juvenil Maré de Livros, na XV Bienal do Livro do Rio.

Em homenagem ao Dia do Médico, a Rede D’Or reune cerca de 300 profissionais de saúde em uma sessão onde o coletivo de DJs Vinil é Arte, que toca música dos anos 50, 60 e 70, se apresenta no lounge do hotel exclusivamente para os médicos, que são profissionais destacados dentro da Rede e pela sociedade.

A ação também marca o lançamento oficial, junto ao público médico da Zona Sul, do Copa Star, unidade hospitalar que está sendo construída pela Rede D’Or na Rua Figueiredo de Magalhães, em Copacabana, mesma rua onde fica o Hospital Copa D’Or. Ele terá como foco o atendimento ao público VIP e Triple A e sua inauguração está marcada para 2013.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Saiba mais sobre a Síndrome Metabólica




A Síndrome Metabólica não é bem uma doença, e sim um conjunto de fatores de risco de doenças cardiovasculares. Fatores como sedentarismo e alimentação inadequada podem resultar no desenvolvimento da Síndrome.

Segundo o Dr. Leonardo Esperman, endocrinologista do Centro de Tratamento da Obesidade da Rede D'Or, os indícios da presença da Síndrome Metabólica são percebidos pelo aumento na circunferência da barriga, hipertensão e também pela alteração nos resultados nos exames de sangue. “Se os índices de glicemia, triglicemia, colesterol e ácido úrico estiverem fora do padrão, é importante que a pessoa tenha atenção. Às vezes o problema só é percebido depois que complicações, principalmente as cardiovasculares, começam a se manifestar”, diz Esperman.

Hoje em dia, 30% da população brasileira têm os critérios para Síndrome Metabólica, e esses critérios estão associados principalmente à obesidade.

Para se prevenir, é importante adotar um estilo de vida saudável. Praticar atividades físicas regulares, inclusive as aeróbicas como caminhada, bicicleta, natação, dança e artes marciais, ajudam a evitar o desenvolvimento da Síndrome Metabólica. Uma alimentação saudável também é muito importante. “Sabemos que pequenas e simples mudanças na alimentação diminuem muito o risco de ter doenças cardiovasculares com angina, infarto, derrame entre outras.

18 de outubro: Dia do Médico


A Rede D’Or parabeniza todos os profissionais de Medicina que dedicam suas vidas para cuidar da saúde do próximo.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Novo anticoagulante previne três a cada quatro derrames

Uma novidade deve revolucionar o tratamento de cardiologia mundial. Trata-se do Pradaxa (dabigatrana), primeiro medicamento de uma nova geração de anticoagulantes orais que acaba de chegar ao mercado brasileiro.

Estudos clínicos mostraram que Pradaxa (dabigatrana) previne três de cada quatro derrames decorrentes da fibrilação atrial. Dabigatrana tem eficácia e segurança superior na prevenção do AVC quando comparada ao medicamento mais antigo, lançado há mais de 50 anos, e considerado como terapia padrão até o momento.

No mundo, três milhões de pessoas têm derrame anualmente em consequência da fibrilação atrial. Esse tipo de arritmia acomete 1,5 milhão de brasileiros e faz com que o coração bata em um ritmo irregular, fora do padrão habitual, além de aumentar em cinco vezes o risco de AVC.

“A fibrilação atrial provoca a formação de coágulos no coração e aumenta em cinco vezes o risco de AVC. Se a pessoa não faz uma prevenção adequada, os coágulos se deslocam até o cérebro desencadeando um AVC que pode ter sérias sequelas. Este tipo de AVC tende a ser mais grave e incapacitante”, alerta Dra. Olga Ferreira de Souza, arritmóloga, Chefe do Serviço de Arritmia Cardíaca da Rede D'Or.

”É muito importante o diagnóstico precoce da fibrilação atrial. Os riscos de desenvolver a arritmia aumentam com a idade, na presença de cardiopatias, hipertensão arterial, diabetes mellitus, doenças da tireoide, uso de álcool e histórico familiar de fibrilação atrial”, complementa a especialista.

O novo anticoagulante chega para suprir as sérias limitações da terapia anterior, que impõe diversas restrições alimentares aos pacientes, além de ter interações com vários medicamentos. Outro desafio é a necessidade de ajuste constante da dose do medicamento, baseada em resultados de exames de sangue frequentes, no mínimo, mensais.

Por ter um efeito previsível e com dose fixa o Pradaxa (dabigatrana) dispensa ajustes de dose, sendo um tratamento de mais fácil administração pelo médico e paciente. Além disso, Pradaxa® (dabigatrana) possui baixo potencial de interação com outros medicamentos e não interage com alimentos.



terça-feira, 11 de outubro de 2011

Dia Mundial de Combate à Obesidade


A população brasileira mudou o seu padrão físico num ritmo preocupante. Se antes a dieta era mais equilibrada, hoje está repleta de alimentos com poucos nutrientes. “Por isso, devemos ter orientações sobre os alimentos que escolhemos em nossas refeições, e a respeito daqueles que precisamos evitar”, afirma Alex Leite, endocrinologista do Hospital São Luiz, um dos hospitais associados da Rede D’Or.

“Também é necessário que as crianças entendam o porquê de um cardápio mais saudável e não simplesmente as submeterem a uma imposição de dieta”, alerta o especialista.

Fatores como alimentação pouco saudável e falta exercícios físicos, vistos já na infância e na adolescência, são um risco à saúde, porque tais atitudes além de levar ao sobrepeso podem acarretar doenças cardíacas, diabetes e alteração do colesterol.

Medidas no dia a dia podem significar ganho na qualidade de vida e servirem de prevenção contra a obesidade. Confira abaixo algumas dicas do médico para manter o peso adequado

5 dicas para se alimentar corretamente:

1. Fracionar a alimentação e alimentar-se de forma moderada de 3 em 3 horas;

2. Não tomar mais de 200 ml de líquido durantes as refeições;

3. Escolher alimentos diversificados para montar o prato, mesclando fibras e proteínas, com carboidratos;

4. Comer uma fruta ou tomar um suco antes de realizar atividades físicas;

5. Quando for ao um restaurante, evitar sobremesas durante as principais refeições.


segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Vacinas podem ser a nova solução contra câncer


As vacinas terapêuticas são a maior promessa no tratamento do câncer. Sendo usadas durante o tratamento e não de forma preventiva, ela ajuda a combater o tumor carregando antígenos que estimulam a defesa do organismo contra proteínas que, em geral, são parte do material genético do tumor.

Mesmo sendo testadas há décadas, poucas dessas vacinas foram aprovadas. É preciso mais estudos de eficácia. Além disso, elas não são tão acessíveis. Para o câncer de próstata, por exemplo, existe a Provenge, nos EUA, que custa mais de US$ 90 mil cada aplicação e precisa ser manipulada em fabrica.

Há também vacinas contra o câncer de pele mais grave, o melanoma. A ipilimumabe, de aplicação na veia a cada três semanas, quatro doses que estimula os linfócitos T e está em aprovação no Brasil.

Alexandre Palladino, do Centro de Oncologia da Rede D’Or, acredita que as vacinas podem fazer a diferença. “O mecanismo de ação das vacinas é complexo, mas a proposta é aumentar a atividade do sistema imunológico contra o tumor. Por enquanto elas não fazem parte da prática clínica”, diz.

Muitas das terapias imunológicas, como as vacinas complementando a quimioterapia no câncer, hoje são baseadas em celular dendríticas. As vacinas contra o câncer são promissores e possivelmente estarão disponíveis nos próximos anos. Porém, o câncer é uma doença complexa e não tem uma solução única para todos os casos. Ele continuará a ser tratado com quimioterapia, radioterapia, terapia-alvo e vacina, dependendo de cada caso.

Há vacinas com novos tratamentos oncológicos em dezenas de centros no Brasil. Esses estudos devem ser questionados pelos pacientes e discutidos com os médicos. Isso porque nem todos se enquadram nos critérios para as terapias experimentais.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Saiba como combater o colesterol alto, alteração que acomete Grazi Massafera

Exercícios físicos diários e uma dieta balanceada é o segredo de Grazi Massafera para combater o colesterol alto. A atriz enfrenta este problema que acomete boa parte da população do País.

Uma pesquisa recente do Ministério da Saúde mostrou que a dieta dos brasileiros é inadequada, caracterizada pelo alto consumo de alimentos ricos em gorduras, açúcar e sódio e com poucos micronutrientes, combinada com a baixa ingestão de frutas, verduras e legumes, sobretudo, entre os adolescentes. De acordo com o estudo, os jovens consomem entre 10% e 15% mais gorduras que os adultos.

E essa má alimentação pode contribuir com a elevação do colesterol, que, em excesso no organismo, é depositado na parede dos vasos sanguíneos e oxidado. Tal acúmulo pode provocar inflamação e até o rompimento das artérias, gerando sérias complicações cardiovasculares.

“O ideal é procurar um médico a partir dos 20 anos de idade para realizar a dosagem do colesterol. O teste deve ser repetido uma vez ao ano, principalmente, se houver presença de fatores de risco ou histórico familiar”, alerta Dr. João Vicente da Silveira, médico do Hospital e Maternidade São Luiz, um dos hospitais associados da Rede D'Or.

12 dicas para combater o colesterol

Reduza o consumo de carnes vermelhas, substituindo por carnes brancas, como peixe ou frango, quando possível. A carne vermelha é a campeã no índice do colesterol, por conta da grande quantidade de proteínas;

Substitua queijos amarelos pelo branco. O queijo amarelo possui muita gordura saturada, rica em colesterol. O queijo branco, por sua vez, tem menos gordura e pode ser uma opção;

Aposte nos alimentos ricos em fibras, frutas com casca, cereais, aveia, soja, maçã e substâncias antioxidantes. Essas substâncias se ligam à gordura e facilitam a digestão e eliminação delas pelo organismo, porque as fibras se acoplam à gordura;

Pratique exercícios físicos ao menos 3 vezes por semana. A prática de atividade aumenta a frequência cardíaca e você consome as calorias. Ao consumir alimentos gordurosos, a gordura é acumulada em forma de calorias e o exercício físico ajuda no consumo da caloria pelo organismo, abaixando o índice de colesterol;

Pare de fumar. O cigarro lesa a parede dos vasos e favorece o acúmulo de colesterol, fazendo com que o mesmo se torne de difícil eliminação;

Não reaproveitar óleo utilizado na cozinha. Conforme o óleo é utilizado, desde a primeira combustão, fica rico em gorduras saturadas. Devido à queima e aumento de temperatura sofre transformação na composição;

Evitar bolachas recheadas e alimentos cremosos. Alimentos ricos em gorduras trans possuem alto índice de colesterol, que favorece o entupimento das artérias do coração;

Importante priorizar alimentos grelhados. Consumir quantidade de gordura magra maior para não consumir alto teor de gordura saturada;

Evite comer a pele das aves, pois possui uma quantidade muito grande de colesterol e gorduras saturadas. A pele, que serve para garantir a temperatura corporal da ave, possui alto índice de gordura;

Apesar do mito, a ingestão de limão e laranja com berinjela não diminui a taxa de colesterol. Não existem evidências de que essas substâncias diminuam o índice de colesterol;

Os derivados de uva são alimentos que aumentam o HDL (bom colesterol), tanto o suco como o vinho tinto (este não mais que uma taça por dia). Existem ainda substâncias flavonóides (antioxidantes) que dificultam o acumulo de gordura nas artérias. Priorize as uvas vermelhas;

Na situação de estresse elimina-se muito cortisol, que aumenta a frequência do coração o estimulando a bater mais rápido, liberando adrenalina. Essas substâncias são vasoconstritoras, que podem dar espasmos nas artérias do coração, ficando mais propenso a arritmias.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Saiba mais sobre o câncer de pâncreas, doença que matou Steve Jobs, o mestre da tecnologia mundial



Steve Jobs, fundador da Apple, faleceu ontem, aos 56 anos de idade, após anos de luta contra um câncer de pâncreas. A notícia, que deixa órfãos os amantes da tecnologia, traz à tona algumas dúvidas. Por exemplo, o que é o pâncreas? O que ele faz? Qual o papel deste órgão no funcionamento do nosso corpo? Por que um câncer no pâncreas pode ser tão avassalador?

O Hospital e Maternidade São Luiz ajuda você no esclarecimento dessas informações.

O pâncreas: glândula que faz parte do aparelho digestivo. Está localizada na parte superior do abdome e atrás do estômago.

Função: produção de enzimas, que atuem na digestão dos alimentos, e insulina, o hormônio responsável pela diminuição do nível de glicose (açúcar) no sangue.

Câncer de pâncreas: tem como fatores de risco, principalmente, o tabagismo, o consumo excessivo de gordura, carnes e bebidas alcoólicas, e longa exposição a compostos químicos, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Quem desenvolve: a doença é rara antes dos 30 anos de idade e mais frequente a partir dos 60 anos. O sexo masculino tem uma maior incidência da patologia.

Incidência: no brasil, representa 2% de todos os tipos de câncer e 4% do total de mortes por câncer. A taxa de mortalidade da doença é alta, pois na maioria dos casos ela só é descoberta quando já está em estágio avançado, pois é assintomática.

Prevenção: adotação de medidas como erradicar o consumo de derivados do tabaco e consumir de maneira consciente bebidas alcoólicas e gorduras.

Sintomas: perda de apetite e de peso, fraqueza, diarreia tontura e dor nas costas.

Diagnóstico: exames de sangue, fezes e urina, além de tomografia computadorizada, ultrassonografia e ressonância nuclear e biópsia do tecido.