Sobre o que você quer saber?







quarta-feira, 6 de maio de 2009

Prazer sexual feminino











Já faz algum tempo que o sexo deixou de ser encarado apenas como uma forma de reprodução para as mulheres, tornando-se parte cada vez mais importante para seu bem-estar. Mas mesmo com toda a informação disponível, o prazer sexual feminino ainda é um assunto que provoca muitas dúvidas e percebo que várias pacientes se perguntam se o que sentem é normal. E pior: se culpam por não ter orgasmos com a frequência que gostariam.

De uma forma geral, o prazer sexual pode ser encarado como sinônimo de saúde. Ele costuma ser associado ao orgasmo, mas é importante lembrar que nem sempre para se obter prazer é necessário atingi-lo. Por isso, as mulheres devem ter em mente que o prazer é o contato íntimo, que abrange a relação como um todo, incluindo as preliminares e a intimidade com o parceiro.

Porém, como o orgasmo é uma manifestação física de prazer, a preocupação por não conseguir alcançá-lo é normal. Na maior parte das vezes, as causas de não atingir o orgasmo são de fundo emocional, podendo ter a ver, entre outros motivos, com o cansaço, o stress, a falta de intimidade com o parceiro e a ansiedade. Além disso, fatores externos também podem atrapalhar no momento de se atingir o clímax, como o consumo de drogas e bebidas, o local não apropriado e a pressa. Para evitar que esses problemas aconteçam, é importante manter um diálogo aberto com o parceiro, para deixar bem claro o que você gosta ou não durante as relações sexuais. Procurar conhecer o próprio corpo, se tocando e vendo as formas de carinho mais prazerosas, é outra medida que pode ajudar bastante as mulheres a aumentar o prazer que sentem durante as relações sexuais.

Ter muita dificuldade para atingir o orgasmo ou não sentir prazer algum, no entanto, não é normal. Fungos (cândida), doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e irritação da mucosa vaginal podem ser apontadas como algumas das razões para a dificuldade em se ter prazer sexual. Outro motivo pode ser a disfunção hormonal, que entre outras alterações, diminui a lubrificação vaginal e interfere na libido da mulher. As alterações nos níveis hormonais costumam atingir principalmente as que já chegaram à menopausa, mas podem acontecer com mulheres de todas as idades.

Por essas razões, é importante estar atenta para o fato de sentir ou não prazer no ato sexual e, se for o caso, procurar um especialista para auxiliá-la a descobrir a razão do problema. O profissional mais indicado para tratar das dificuldades físicas é o ginecologista, enquanto o psicólogo é o especialista que você deve procurar caso ache que a dificuldade em obter prazer sexual pode ter fundo emocional.

Por Dr. Humberto Tindó
Chefe do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Quinta D'Or

Clique no ícone e ouça o Dr. Humberto Tindó falando sobre przer sexual feminino



5 comentários:

Suzi disse...

Olá Dr.Humberto, amei essa matéria, acredito que o tema deveria ser discutido com mais frequência, pois é muito difícil quebrar tabus, sofri um bucado para ter liberdade para falar sobre o assunto com o meu próprio ginecologista, que também é terapeuta sexual.
Quando falamos das nossas intimidades para um profissional, dá-se a impressão de que estaremos sendo julgadas por um comportamento não aceitável em uma mulher, pois já tive essa experiência, ao final o médico dizendo que tudo aquilo deveria ser feito dentro de um casamento como manda os mandamentos, e isso, nos faz prendermos novamente a um passado de castidade, não descordo dos conselhos e devemos nos colocar em nosso lugar em determinadas atitudes, mas também somos seres humanos com vontades e desejos como os homens.
Hoje, pelo contrario, veja minha sexualidade numa boa, minhas orientações por parte do meu médico é extremamente fundamental para minha felicidade sexual, pois temos cumplicidade e confio muito nele, claro que sem deixar de lado os seus conselhos essenciais para essa realização.
Acima de tudo devemos ter confiança nos profissionais que nos atendem, além ser meu médico é o meu melhor amigo confidente.
Parabéns pela matéria, acho muito gostoso dividir nossas experiências.

Anônimo disse...

ola!
possuo candida e as vezes é mt dificil ter um orgasmo! existe algo que eu possa fazer antes ou durante a relaçao pra melhorar esse quadro? minha candida [e do tipo ciclica, ela [e recorrente.

Espaço Saude da Mulher disse...

Olá!

Cara internauta, na verdade, você precisa que um bom ginecologista que tenha a oportunidade de fazer um diagnóstico correto do seu caso (pois muitas coisas são chamadas de "candidíase"), para que o tratamento correto faça o efeito esperado.

Boa sorte e saudações.

Dr. Humberto Tindó
Ginecologista e obstetra

daniemarcelinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Espaço Saude da Mulher disse...

Minha cara,

Os fatores que mais frequentemente contribuem para a recidiva da candidíase são o uso de hormônios, principalmente os anticoncepcionais hormonais (ex, pílula) e o diabetes. Algumas dicas são: não fazer duchas vaginais com muita frequência, usar roupas íntimas mais folgadas e preferencialmente de algodão, não raspar completamente os pelos pubianos (apenas apará-los), etc.

Saudações,

Dr. Humberto Tindó
Ginecologista e obstetra